Disseminando a Beleza Limpa

Construa uma produção de cosméticos ética e voltada para o mercado de cuidados pessoais: o protocolo de Nagoya

Uma produção de cosméticos ética significa que ela respeita tanto o meio ambiente como as pessoas e as comunidades envolvidas no processo produtivo. Cada vez mais, as expectativas dos consumidores extrapolam elementos superficiais e analisam o comportamento das marcas em todos os âmbitos. Por exemplo, no mercado de cosméticos, isso representa uma maior demanda pela transparências nos ingredientes.

Os consumidores não demandam apenas esses movimentos das marcas: eles estão prontos para agir. Na realidade, de acordo com uma pesquisa global da Euromonitor em 2021, 17% dos consumidores estão dispostos a pagar mais por produtos ecológicos e éticos, enquanto 9% pagará mais por produtos desenvolvidos dentro de um mercado justo.

Ao mesmo tempo, a sustentabilidade se expande e passa a incluir ações orientadas a um propósito. Esta mesma pesquisa descobriu que, quando questionados “quais das seguintes atividades você faz para se manter atuante em questões políticas e sociais?”, a maioria dos participantes respondeu que “compra de marcas que apoiam questões políticas e sociais alinhadas com os seus valores”.

Essas tendências de consumo deixam claro às empresas que: construa uma produção de cosméticos ética e os clientes vão te acompanhar. Para se alinhar a este movimento, as marcas devem buscar fornecedores confiáveis capazes de entregar ingredientes éticos e sustentáveis.

Continue lendo para descobrir como a Provital, ao se tornar o primeiro fornecedor de ingredientes cosméticos a atender ao protocolo de Nagoya, conseguiu se tornar um parceiro essencial para as marcas que querem adaptar sua produção de cosméticos.

O protocolo de Nagoya: a chave para uma produção de cosméticos ética

O Protocolo de Nagoya foi criado em 2002 com o propósito de implementar a distribuição justa e equitativa dos benefícios decorrentes da utilização dos recursos genéticos, contribuindo assim para a conservação e o uso sustentável da biodiversidade.

O protocolo reconhece a necessidade de uma legislação internacional que supervisione um mundo interconectado onde as empresas estão olhando para a natureza e para o conhecimento ancestral da humanidade. Isso se alinha ao crescimento dos produtos de beleza e cuidados pessoais orgânicos e naturais, também conhecidos como biocosméticos, regulados por certificações internacionais. Ao mesmo tempo, a garantia da preservação da biodiversidade em toda cadeia de valor e o surgimento de certificações de produtos orgânicos de marcas próprias adotados por empresas que buscam oferecer soluções para consumidores cada vez mais conscientes e informados.

O protocolo de Nagoya reconhece que os países possuem direitos soberanos sobre os recursos genéticos e o conhecimento tradicional. Assim, sempre que uma multinacional busca tais recursos para desenvolver novos produtos inovadores, esses direitos devem ser respeitados. 

Em resumo, quando surgem os benefícios de uma pesquisa ou do uso comercial, eles devem ser compartilhados de maneira justa e equitativa com o país que está fornecendo esses recursos.

Mais de 100 países aderiram a este protocolo, formando um ambiente para o biocomércio ético capaz de garantir uma maior transparência na rastreabilidade dos produtos finais, ao mesmo tempo que fortalece as relações entre fornecedores, empresas e consumidores.

Mantendo nosso compromisso em ajudar as empresas a construir uma produção de cosméticos ética, a Provital se tornou o primeiro fornecedor de ingredientes cosméticos do mundo a obter o Certificado de Compliance Internacionalmente Reconhecido (IRCC) junto à ABSCH (Access and Benefit-Sharing Clearing-House). Em outras palavras, somos a primeira empresa em nossa indústria a possuir um certificado oficial que confirma que atendemos os requisitos do Protocolo de Nagoya.

Um exemplo de produção de cosméticos ética: Mujeres y ambiente, um projeto da Provital em conformidade com Nagoya

O projeto Mujeres y ambiente abriu as portas para que a Provital se tornasse o primeiro fornecedor de ingredientes cosméticos a atender os requisitos do protocolo de Nagoya.

Enquanto trabalhamos para produzir e vender ingredientes ativos para a indústria de cosméticos de origem vegetal, nós adquirimos fábricas ao redor de todo o mundo. No entanto, a construção de uma produção de cosméticos confiável e ética é uma prioridade nossa, por isso tentamos manter um contato direto com os agricultores.

O projeto Mujeres y ambiente é um exemplo disto. Ele foi fundado por Doña Eulalia Moreno e suas duas filhas tendo como objetivo a melhoria da vida nas comunidades agrícolas locais por meio de uma microempresa focada no cultivo sustentável de vegetais e plantas medicinais e aromáticas. O projeto se concentra ativamente em toronjil ou agastache mexicana, uma planta mexicana nativa que utilizamos em nosso ativo Agascalm™.

Por meio deste projeto, garantimos a ajuda na promoção do empoderamento feminino e as economias locais sustentáveis. Assim, nossa fábrica no México forma equipes locais que estão focadas no treinamento e na infraestrutura, o que também permite que a comunidade tenha um aumento de renda e um maior desenvolvimento econômico.

O projeto Mujeres y ambiente se tornou diversas coisas: é um projeto agrícola social sustentável que também incorpora processos de pesquisa e educação. Isso tudo significa a promoção da extração local e ética, a biodiversidade e o cultivo sustentável.

O compromisso da Provital com a produção de cosméticos ética vai além deste projeto premiado. Nós também compartilhamos nossos benefícios com os detentores do conhecimento tradicional africano para desenvolver nosso ingrediente ativo Affipore™.Assim, a Provital se tornou o parceiro perfeito para empresas que estão desenvolvendo sua própria produção de cosméticos ética.

Deja un comentario

No hay comentarios

Todavía no hay ningún comentario en esta entrada.