Disseminando a Beleza Limpa

Queratina vegana: os consumidores conscientes a desejam, mas será que ela é possível?

Com o movimento de beleza cruelty-free (empresas que não testam seus produtos em animais) ganhando mais espaço no mercado, especialmente entre os mais jovens, produtos como a queratina vegana estão apresentando um significativo crescimento de demanda. Entre 2013 e 2018, verificou-se um crescimento de 175% nos lançamentos de cosméticos veganos, de acordo com a Mintel. Atualmente, 67% da Geração Z afirma que deixaria de usar marcas que adotam práticas antiéticas e mais de 55% usam apenas produtos não testados em animais (Mintel, 2020). Com a pandemia da COVID-19, esta priorização por produtos que não são testados em animais foi ainda mais expressiva. À medida que se descobriu a relação entre a disseminação do vírus e os wet markets (mercados de venda de animais vivos) e as fábricas de processamento de carnes, os consumidores têm se mostrado cada vez mais preocupados com o bem-estar dos animais, já que eles também integram o meio ambiente. 

Essa tendência é relevante para todo o segmento de beleza e cuidados pessoais, e os cuidados com os cabelos não são exceção. Os consumidores estão em busca de produtos veganos cruelty-free, sem ingredientes de origem animal, que melhorem a saúde dos cabelos. Esta tendência mostra seus reflexos no próprio mercado: ano passado, o termo “vegano” ficou entre os cinco termos mais procurados no mercado de produtos de beleza natural e orgânico (Mintel, 2019). Portanto, criar alternativas veganas para a queratina, um ingrediente tradicionalmente de origem animal, é uma preocupação especial para uma indústria em que a busca por ingredientes naturais e derivados de plantas tem se tornado um fator de diferenciação das marcas.

Como a queratina fortalece o cabelo?

Uma tendência nos cuidados capilares que está sempre presente é a queratina, e isto ocorre por um bom motivo. A queratina é uma proteína que está naturalmente presente no cabelo, formando uma barreira protetora nas fibras capilares que ajuda a mantê-la elástica, macia e brilhante. Infelizmente, a queratina pode ser danificada pelo calor, modelagem dos fios, produtos químicos e outras agressões do meio ambiente.

Assim, muitos consumidores buscam formas de fazer a reposição da queratina para promover o fortalecimento dos cabelos, além de outros ingredientes naturais para os cuidados capilares. Você pode aumentar a produção de queratina naturalmente ao ingerir mais alimentos ricos em proteína, como carne magra, feijão, ovos, linhaça e nozes. Além disso, também é possível aplicar a queratina diretamente nos fios por meio de shampoos, condicionadores e outros cremes de tratamento: neste ano, 45% dos consumidores norte-americanos disseram que a ação de fortalecimento capilar é importante ao escolher o seu produto de condicionamento capilar (Mintel, 2020).

A queratina é vegana? É possível sintetizá-la?

Com a tendência de produtos de beleza veganos, a sintetização da queratina vegana se tornou um obstáculo importante: antigamente, a queratina utilizada era de origem animal. Da mesma maneira que os cabelos e unhas do homem, os pelos, cascos e chifres dos animais são feitos de queratina. Na verdade, muitos produtos capilares com queratina contém partes de animais triturados na sua composição. Tecnicamente, não há uma forma de sintetizar a queratina vegana e ela não pode ser extraída das plantas da mesma maneira. Isto é um problema para aqueles que buscam tratamentos a base de queratina vegana. Entretanto, não é correto afirmar que as propriedades da queratina não podem ser copiadas com fórmulas de origem vegetal. Por exemplo, a síntese de aminoácidos extraídos de grãos como arroz e trigo origina as proteínas hidrolisadas, que funcionam como uma boa alternativa de tratamento à queratina vegana. Assim, vemos um “boom” de produtos que dizem possuir “queratina vegana”, o que coincide com a grande popularidade dos produtos veganos.

Deja un comentario

No hay comentarios

Todavía no hay ningún comentario en esta entrada.